sábado, 22 de dezembro de 2012

Natal, lugar em que "tudo" começou...


Segue abaixo a catequese dirigida pelo Papa aos grupos de peregrinos do mundo inteiro, reunidos na Sala Paulo VI para a audiência geral, no dia 22.12.2010.
***
     Queridos irmãos e irmãs:
     Com esta última audiência antes das festas do Natal, nós nos aproximamos, trêmulos e cheios de admiração, do "lugar" onde tudo começou por nós e para a nossa salvação, onde tudo encontrou seu cumprimento, onde se encontraram e se cruzaram as esperanças do mundo e do coração humano com a presença de Deus.
     Podemos, desde já, saborear a alegria por essa pequena luz que se vislumbra, que, da gruta de Belém, começa a se espalhar por todo o mundo. No caminho do Advento, a liturgia nos convidou a viver, esteve conosco para acolher com disponibilidade e gratidão o grande acontecimento da vinda do Salvador e para contemplar, maravilhados, sua entrada no mundo.
     A alegre esperança, característica dos dias que precedem o Santo Natal, é certamente a atitude fundamental do cristão que anseia por viver com fruto o renovado reencontro com Aquele que vem habitar entre nós: Cristo Jesus, o Filho de Deus feito homem. Voltamos a encontrar esta disposição do coração e a tornamos nossa, naqueles que em primeiro lugar acolheram a vinda do Messias: Zacarias e Isabel, os pastores, as pessoas simples e, especialmente, Maria e José, que experimentaram em primeira pessoa o tremor, mas sobretudo a alegria pelo mistério deste nascimento. Todo o Antigo Testamento é uma única grande promessa, que deveria ser realizada com a vinda de um salvador poderoso. Disso dá testemunho em particular o livro do profeta Isaías, que nos fala dos sofrimentos da história e de toda a criação por uma redenção destinada a voltar a dar novas energias e nova orientação ao mundo inteiro. Assim, junto à espera dos personagens das Sagradas Escrituras, encontra espaço e significado, ao longo dos séculos, também a nossa espera, a que nestes dias estamos vivendo e que nos mantém em pé durante todo o percurso da nossa vida. Toda a existência humana, de fato, é incentivada por este profundo sentimento, pelo desejo de que o mais verdadeiro, o mais belo e a maior realidade que entrevimos e intuímos com a mente e com o coração, possa vir ao nosso encontro e tornar-se concreto diante dos nossos olhos, voltando a levantar-nos.
   

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Advento: um mistério que envolve inteiramente o cosmo e a história


Segue abaixo a transcrição do pronunciamento de SS. Bento XVI, por ocasião da tradicional oração do Angelus, na praça de São Pedro, no dia 2.12.2012. Nessa ocasião o papa nos incentivar a vivenciar intensamente a mística do Advento para nos prepararmos espiritualmente para celebrarmos o Natal:

Queridos Irmãos e irmãs
     Hoje a Igreja inicia um  novo Ano Litúrgico, um caminho que é enriquecido pelo Ano da Fé, 50 anos após a abertura do Concilio Ecumênico Vaticano II.  O primeiro tempo deste itinerário é o Advento, formado, no Rito Romano, pelas quatro semanas que antecedem o Natal do Senhor, isto é, a Encarnação. A palavra “advento” significa “vinda” ou “presença”. No mundo antigo indicava a visita do rei ou do imperador a uma província; na linguagem cristã refere-se à vinda de Deus, à sua presença no mundo; um mistério que envolve inteiramente o cosmo e a história, mas que conhece dois momentos culminantes: a primeira e a segunda vinda de Jesus Cristo. A primeira é a própria encarnação; a segunda é o retorno glorioso ao fim dos tempos. Estes dois momentos, que cronologicamente são distantes – e não se sabe o quanto -, tocam-se profundamente, porque com sua morte e ressurreição Jesus já realizou a transformação do homem e do cosmo que é a meta final da criação. Mas antes do final, é necessário que o Evangelho seja proclamado a todas as nações, disse Jesus no Evangelho de São Marcos (cf Marcos 13,10). A vinda do Senhor continua, o mundo deve ser penetrado pela sua presença. E esta vinda permanente do Senhor no anuncio do Evangelho requer continuamente nossa colaboração; e a Igreja, que é como a Noiva, a esposa prometida do Cordeiro de Deus crucificado e ressuscitado (cf Ap 21,9), em comunhão com o Senhor colabora nesta vinda do Senhor,  na qual ja inicia o seu retorno glorioso.

     A isto nos convida hoje a Palavra de Deus, traçando a linha de condução a seguir para estarmos prontos para a  vinda do Senhor. No Evangelho de Lucas, Jesus diz aos discípulos: “Os vossos corações não fiquem sobrecarregados com dissipação e embriaguez e dos cuidados da vida... vigiai em cada momento orando” (Lucas 21, 34.36). Portanto, sobriedade e oração. E o apostolo Paulo acrescenta o convite a “crescer e avantajar no amor” entre nos e com todos, para tornar nosso coração firme e irrepreensível na santidade (cfr 1 Ts 3,12-13). Em meio aos transtornos do mundo, ou ao deserto da indiferença e do materialismo, os cristãos acolham do Senhor a salvação e a testemunhem com um modo diverso de viver, como uma cidade colocada sobre um monte. “Naqueles dias- anuncia o profeta Jeremias- Jerusalém viverá tranquila, e será chamada: Senhor – nossa – justiça (33,16). A comunidade dos crentes é sinal do amor de Deus, da sua justiça que é já presente e operante na historia mas que ainda não foi plenamente realizada, e portanto, deve ser sempre esperada, invocada, procurada com paciência e coragem.
     A Virgem Maria encarna perfeitamente o espirito do Advento, feito da escuta de Deus, do desejo profundo de fazer a sua vontade, de alegre serviço ao próximo. Deixemo-nos guiar por ela, para que o Deus que vem não nos encontre fechados ou distraídos, mas possa, em cada um de nos, estender o seu reino de amor, de justiça e de paz.

Catequese de São Gregório de Nazianzo sobre a Encarnação do Verbo Divino



Ó admirável intercâmbio!
Dos Sermões de São Gregório de Nazianzo, bispo (Séc. IV)


     O próprio Filho de Deus, que existe desde toda a eternidade, o invisível, o incompreensível, incorpóreo, princípio que procede do princípio, a luz nascida da luz, a fonte da vida e da imortalidade, a expressão do arquétipo, divino, o selo inamovível, a imagem perfeita, a palavra e o pensamento do Pai, vem em ajuda da criatura feita à sua imagem, e por amor do homem se faz homem. Para purificar aqueles de quem se tornou semelhante, assume tudo o que é humano, exceto o pecado. Foi concebido por uma Virgem, já santificada pelo Espírito Santo no corpo e na alma, para honrar a maternidade e ao mesmo tempo exaltar a excelência da virgindade; e assumindo a humanidade sem deixar de ser Deus, uniu em si mesmo duas realidades contrárias, a saber, a carne e o espírito. Uma delas conferiu a divindade, a outra recebeu-a.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Sobre a polêmica da retirada da frase "Deus seja louvado" das cédulas de dinheiro

Publico abaixo um artigo de um grande jurista brasileiro, Ives Gandra, a respeito da polêmica produzida por um membro do Ministério Público de obrigar judicialmente ao Banco Central do Brasil de retirar a frase "Deus seja louvado" das cédulas do nosso dinheiro... O artigo foi publicado pelo Jornal FOLHA DE SÃO PAULO, e é bem interessante para nós catequistas refletirmos e, talvez, discutirmos em nossos grupos de catequese... boa leitura!

Estado laico não é Estado ateu

IVES GANDRA DA SILVA MARTINS na Folha de S. Paulo, p. 3, (26.11.2012)

A esmagadora maioria do país crê em Deus. Se manifestações contrárias ao ateísmo forem vetadas, como querem alguns, será uma ditadura da minoria. No "Consultor Jurídico", leio artigo de Lenio Streck, eminente constitucionalista gaúcho. Ele, até com certa ironia e um misto de humor britânico e local, destrói todos os argumentos da pretensão de membro do Ministério Público que impôs ao Banco Central 20 dias para retirar das cédulas do real a expressão "Deus seja louvado".

domingo, 4 de novembro de 2012

O AMOR É UM DOM QUE DEUS NOS FAZ CONHECER E EXPERIMENTAR


Reflexões de Bento XVI antes da oração do Angelus


Queridos irmãos e irmãs!
O Evangelho deste domingo (Mc 12, 28-34) nos propõe o ensinamento de Jesus sobre o maior mandamento: o mandamento do amor, que é duplo: amar a Deus e amar ao próximo. Os Santos, que recentemente celebramos todos juntos  em uma única festa solene, são aqueles que, confiando na graça de Deus, buscam viver segundo esta lei fundamental. De fato, o mandamento do amor pode colocá-lo em prática plenamente somente quem vive uma relação profunda com Deus, assim como a criança se torna capaz de amar a partir de um bom relacionamento com sua mãe e seu pai.
São João de Ávila, que recentemente proclamei Doutor da Igreja, assim escreve ao inicio do seu Tratado de Amor a Deus“A causa – diz – que mais impulsiona o nosso coração ao amor de Deus é considerar profundamente o amor que Ele teve por nós... Isto, mais do que os benefícios, leva o coração a amar; porque aquele que faz ao outro um beneficio, lhe dá alguma coisa que possui; mas aquele que ama, se doa com tudo o que tem, sem que lhe sobre algo a dar” (n.1). Antes de ser uma ordem – o amor não é uma ordem – é um dom, uma realidade que Deus nos faz conhecer e experimentar, para que, como uma semente possa germinar também dentro de nós e se desenvolver em nossa vida.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

"NOS SANTOS VEMOS A VITÓRIA DO AMOR SOBRE O EGOÍSMO E SOBRE A MORTE"


Palavras de Bento XVI no Angelus por ocasião da solenidade de Todos os Santos


Queridos irmãos e irmãs! 
Hoje temos a alegria de nos encontrar na solenidade de Todos os Santos. Esta festa nos faz refletir o duplo horizonte da humanidade, que exprimimos simbolicamente as palavras “terra” e “céu”: a terra representa o caminho histórico, o céu a eternidade, a plenitude da vida em Deus. E assim esta festa nos faz pensar na Igreja em sua dupla dimensão: a Igreja a caminho no tempo e a que celebra a festa sem fim, a Jerusalém celeste. Estas duas dimensões são unidas pela realidade da “comunhão dos santos”: uma realidade que começa aqui sobre a terra e atinge seu cumprimento no céu.
No mundo terreno, a Igreja é o inicio deste mistério de comunhão que une a humanidade, um mistério totalmente centradoem Jesus Cristo: foi Ele quem introduziu no gênero humano esta nova dinâmica, um movimento que conduz a Deus e, ao mesmo tempo, a unidade, em direção a paz no sentido profundo. Jesus Cristo – diz o Evangelho de São João (11,52) – morreu “para reunir os filhos de Deus dispersos”, e esta sua obra continua na Igreja que é inseparavelmente “una”, “santa”, “católica”. Ser cristão, fazer parte da Igreja significa abrir-se a esta comunhão, como uma semente que se abre na terra, morrendo, e fecunda em direção ao alto, em direção ao céu. 

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Comissão Diocesana de Animação Bíblico-Catequética se reúne com o Articulador do Regional Nordeste II para Catequese


Durante o Encontro de Formação de Catequistas, a Comissão Diocesana de Animação Bíblico-Catequética reservou um momento para se reunir com o Articulador do Regional Nordeste II para Catequese, Pe. Elison.
Durante a reunião foi apresentada a proposta de formação para catequistas para o ano de 2013. A Comissão optou pela manutenção do mesmo sistema deste ano, isto é, 03 encontros de formação, 01 retiro e 01 assembleia de avaliação e planejamento de atividades.
Com relação a temática para o próximo ano, ficou em aberto para discussões posteriores pois a equipe preferiu discutir mais sobre como abordar o Ano da Fé, com seus desdobramentos (Concílio Vaticano II, Profissão da Fé e Sagrada Escritura) e a Campanha da Fraternidade e Jornada Mundial da Juventude.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

CRÔNICAS DO 3º ENCONTRO DIOCESANO DE FORMAÇÃO - PARTE

Arapiraca, 28 de outubro de 2012.


A manhã do domingo foi dedicada a avaliar o encontro realizado e preparar os catequistas para o próximo encontro, no caso, a Assembleia Diocesana de Catequese, que irá ocorrer nos dias 14, 15 e 16 de dezembro.
Essa preparação ficou sob responsabilidade de Fabiano que iniciou as atividades apresentando algumas características pastorais para o ano de 2013.
"Será um ano rico em eventos, pois estaremos vivenciando o Ano da Fé e a Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro. A catequese deve se preparar para trabalhar todas essas temáticas de forma organizada, criativa e articulada nas paróquias e vicariatos..."
Foi apresentada, de forma geral, a proposta da Comissão Diocesana de manter a estrutura de formação de 2012 para o ano de 2013, o que todos concordaram.
Com relação a temática dos encontros, a discussão está relacionada em como organizar os respectivos temas:

  1. Profissão da Fé (Creio);
  2. 50 anos do Concílio Vaticano II;
  3. Animação Bíblico-Catequética;
  4. Juventude e a catequese.
Foi solicitado que todos os presentes comecem a discutir em suas paróquias e comunidades propostas de como agir no próximo ano, como também a avaliarem a caminhada catequética em nível paroquial, vicarial e diocesana.
O encontro findou-se por volta das 10 horas, com as despedidas e fotos.

CRÔNICAS DO 3º ENCONTRO DE FORMAÇÃO PARA CATEQUESE – PARTE 2


Arapiraca, 27 de outubro de 2012.

O encontro iniciou com a oração dos laudes na Capela, onde se meditou o trecho da carta de São Pedro (2Pe 1,10-11)
Pe. Elison
  Por volta das 8h30, após a animação com a equipe de liturgia e animação, formada por catequistas e pelo Grupo Juventude Missionária (Paróquia Sagrado Coração de Jesus – Arapiraca), teve início as atividades do dia.
Pe. Samuel fez a apresentação do palestrante, Pe. Elson que é padre da Arquidiocese de Maceió e Articulador para catequese no Regional Nordeste II.
Pe. Elson iniciou sua palestra fazendo uma releitura histórica dos eventos que ocorreram do Concílio Vaticano II até o Sínodo dos Bispos (2012) à luz da ação catequética, enfatizando a busca da Igreja pelo retorno ao modelo de iniciação cristã e vivência do discipulado.
Momento de animação
“A palavra-chave na catequese é encontro. A catequese não é doutrinação, nem reunião, ela é local de encontro com Jesus. Esse encontro é chamado, chamado que desperta no indivíduo a conversão (mudança de vida), alimentada pela prática do discipulado, pelo seguimento, pela realização da missão”.
“O grande desafio da catequese é produzir esse encontro. Como realizar esse encontro quando muitos ainda não fizeram essa experiência?”
Segundo Pe. Elson, a catequese mistagógica deve ajudar ao catequizando a vivenciar a experiência do encontro com Deus, encontro transformador da vida, encontro impulsionador para a concretização do Reino de Deus já presente entre nós.
Momento "Shekinah"
Ao longo do dia, os catequistas participaram ativamente da palestra através de colocações, de discussões em grupos e dinâmicas conduzidas pelo palestrante.
No período noturno, houve a celebração eucarística presidida por Dom Valério, que correlacionou a cena da cura do cego Bartimeu com a caminhada da fé dos cristão, e como a catequese deve auxiliar nesse processo de descoberta da pessoa de Jesus, da caminhada para a luz de Cristo.
Após a celebração, os catequistas se reuniram no galpão para participarem de uma Gincana organizada pelos jovens da Juventude Missionária, que prepararam várias provas relacionadas com a temática do encontro.




domingo, 28 de outubro de 2012

CRÔNICAS DO 3º ENCONTRO DE FORMAÇÃO PARA CATEQUESE – PARTE 1




Arapiraca, 26 de outubro de 2012.

Apresentações e dinâmicas no Plenário
Cheios de entusiasmo e animação, os catequistas das diversas paróquias da Diocese chegaram ao Centro de Treinamento Diocesano, almejando aprofundar o conhecimento sobre a catequese mistagógica.
Após o jantar, todos se reuniram no Plenário para dar início ao encontro. Pe. Samuel apresentou a programação do encontro e começou a apresentar uma síntese sobre a carta pontifícia “Porta Fidei”, sobre o Ano da Fé.
Ao final, Pe. Samuel apresentou a sugestão de indicações para a catequese vivenciar o Ano da Fé:
Palestra com Pe. Samuel
1.     Todos os catequistas devem ler e meditar a Carta Apostólica «Porta Fidei».
2.     Todos devem celebrar Eucaristia, participando consciente, ativa e frutuosamente.
3.     Os catequistas devem estudar o Concílio e o Catecismo para aplicar na Pastoral.
4.     Catequistas com o pároco, devem aproveitar o Catecismo e guiar grupos de leitura.
5.     Nas paróquias distribuição de Catecismos e outros subsídios às famílias.
6.     Nas paróquias e locais de trabalho promover missões populares.


Após as reflexões, os catequistas se dirigiram a Capela para a Celebração Eucarística, encerrando as atividades do dia.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

FALTAM 03 DIAS PARA ENCONTRO DIOCESANO DE FORMAÇÃO


Pe. Elison Silva
        A  Equipe Diocesana de Animação Bíblico-Catequética, prepara-se para realizar o seu 3º Encontro Diocesano de Formação para Catequistas, que acontecerá nos dias 26, 27 e 28 de outubro, no Centro de Treinamento Diocesano, em Arapiraca, com a taxa de hospedagem de R$ 40,00.
    O encontro  terá como tema: "O discipulado na Iniciação Cristã", sendo o palestrante o articulador para a catequese no Regional Nordeste II, Pe. Elison Silva (Arquidiocese de Maceió)
         O encontro terá a seguinte programação:

Dia 26/10 - sexta-feira
17h – Chegada;
18h – Jantar;
19h – Plenário:
·       Apresentação da proposta do encontro;
·       Avisos gerais sobre o funcionamento do encontro;
19h30m – Início dos trabalhos do encontro – Formação: Ano da Fé
21h – Missa – Pe. Samuel
22h30m – Descanso

Dia 27/10 – sábado
6h – Despertar;
6h30m – Oração da manhã
7h10m – Café da manhã;
8h – Acolhida e animação;
8h30m – Palestra;
10h – Intervalo
10h20m – Palestra;
12h – Almoço
14h – Palestra
15h30m – Intervalo
15h50m – Palestra
17h – Tempo livre
18h – Jantar
19h – Santa Missa presidida por dom Valério Breda
21h – Momento Recreativo e Convivência:

Dia 28/10 – domingo
6h – Despertar;
6h30m – Oração da manhã
7h10m – Café da manhã;
8h – Palestra;
9h30m – Intervalo;
10h – Limpeza da casa
10h30m – Término do encontro



domingo, 21 de outubro de 2012

"A FÉ CRISTÃ, OPERANTE NA CARIDADE E FORTE NA ESPERANÇA, NÃO LIMITA, MAS HUMANIZA A VIDA." Bento XVI


A FÉ CRISTÃ, OPERANTE NA CARIDADE E FORTE NA ESPERANÇA, NÃO LIMITA, MAS HUMANIZA A VIDA.


Na última quarta-feira, 17 de outubro, Bento XVI falou aos peregrinos no Vaticano sobre o Ano da Fé, sua importância para Igreja e como cada um dos fiéis deve vivenciá-lo. Transcrevemos a seguir sua catequese:
Queridos irmãos e irmãs,
Hoje vou apresentar o novo ciclo de catequese, que se desenvolve durante todo o Ano de Fé  inaugurado recentemente  e que interrompe - por este período - o ciclo dedicado à escola de oração. Com a Carta Apostólica Porta Fidei convoquei este Ano especial,  para que a Igreja renove o entusiasmo de crerem Jesus Cristo, o único salvador do mundo, reaviva a alegria de andar no caminho que nos indicou, e testemunhe de maneira concreta a força transformadora da fé.
A ocorrência dos cinqüenta anos da abertura do Concílio Vaticano II é uma importante ocasião para retornar a Deus, para aprofundar e viver com maior coragem a própria fé, para fortalecer a pertença à Igreja, "mestra de humanidade", que, através do anúncio da Palavra, a celebração dos Sacramentos e obras de caridade nos leva a encontrar e conhecer a Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Este não é o encontro com uma idéia ou um projeto de vida, mas com uma Pessoa viva que transforma profundamente a nós mesmos, revelando a nossa verdadeira identidade de filhos de Deus. O encontro com Cristo renova nossas relações humanas, orientando-as, dia a dia, a uma maior solidariedade e fraternidade, na lógica do amor. Ter fé no Senhor não é algo que interessa apenas à nossa inteligência, a área do saber intelectual, mas é uma mudança que envolve a vida, todo o nosso ser: sentimento, coração, inteligência,  vontade, corporeidade, emoções, relacionamentos. Com a fé realmente tudo muda em nós e para nós, e revela com clareza o nosso destino futuro, a verdade da nossa vocação na história, o sentido da vida, o gosto de ser um peregrino em direção à Pátria celestial.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

3º ENCONTRO DIOCESANO DE CATEQUESE

A Diocese de Penedo, através da Equipe Diocesana de Animação Bíblico-Catequética, prepara-se para realizar o seu 3º Encontro Diocesano de Formação para Catequistas, que acontecerá nos dias 26, 27 e 28 de outubro, no Centro de Treinamento Diocesano, em Arapiraca.
Pe. Elison Silva
O encontro que dará continuidade ao Programa de Formação Anual, terá como tema: "O discipulado na Iniciação Cristã", sendo o palestrante o articulador para a catequese no Regional Nordeste II, Pe. Elison Silva (Arquidiocese de Maceió)
Pe. Elison Silva Santos, especialista em Pedagogia Catequética pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás, é pároco da Paróquia Nossa Senhora das Dores, Maceió.
Com este encontro, a Equipe Diocesana fecha    o programa de formação dos catequistas para o ano de 2012.
Lembrando: Em novembro de 2011, na Assembléia Diocesana de Catequese, foi definida como meta a formação global e gradativa das coordenações de catequeses, tendo como temática "a iniciação cristão mediante o modelo catecumenal para a catequese". Ao longo de 2012, os 03 encontros de formação e o retiro trataram de forma sistemática  e gradual essa temática.

INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O ENCONTRO: 
3º ENCONTRO DIOCESANO DE FORMAÇÃO
Tema: O discipulado na Iniciação Cristã
Subtemas: Catecumenato; Celebração da inscrição do nome; a figura dos padrinhos.
Palestrante: Pe. Elison Silva Santos (Articulador da Catequese no Regional Nordeste 2)
Data: 26, 27 e 28 de outubro de 2012 (NOVA DATA)
Local: Centro de Treinamento Diocesano (CTD) - Arapiraca
Taxa de inscrição e hospedagem: R$ 40,00


quarta-feira, 17 de outubro de 2012

"É PRECISO QUE O CREDO, O SÍMBOLO DA FÉ, SEJA MAIS CONHECIDO, COMPREENDIDO E REZADO." Bento XVI


Catequese de Bento XVI na Audiência Geral de quarta- feira


Hoje, dia 17 de outubro de 2012, SS. Bento XVI falou aos peregrinos reunidos em Roma, em sua Catequese semanal sobre o ano da Fé e a importância da redescoberta do símbolo da fé, o Credo. Segue abaixo o resumo: 
Queridos irmãos e irmãs,
Hoje iniciamos um novo ciclo de catequeses que se inserem no contexto do Ano da Fé, inaugurado recentemente. Com estas catequeses, queremos percorrer um caminho que leve a reforçar ou a reencontrar a alegria da fé em Jesus Cristo, único Salvador do mundo. De fato, o nosso mundo de hoje está profundamente marcado pelo secularismo, relativismo e individualismo que levam muitas pessoas a viver a vida de modo superficial, sem ideais claros. Por isso, é essencial redescobrir como a fé é uma força transformadora para a vida: saber que Deus é amor, que se fez próximo aos homens com a Encarnação e se entregou na cruz para nos salvar e nos abrir novamente a porta do céu. De fato, a fé não é uma realidade desconectada da vida concreta. Neste sentido, para perceber o vínculo profundo que existe entre as verdades que professamos e a nossa vida diária, é preciso que o Credo, o Símbolo da Fé, seja mais conhecido, compreendido e rezado. Nele encontramos as fórmulas essenciais da fé: as verdades que nos foram fielmente transmitidas e que constituem a luz para a nossa existência.
Dou às boas-vindas aos grupos de visitantes do Brasil e demais peregrinos de língua portuguesa. Agradeço a vossa presença e desejo que este Ano possa ajudar-vos a crescer na fé e no amor a Cristo, para que aprendais a viver a vida boa e bela do Evangelho. De coração, a todos abençôo. Obrigado!

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

"Uma santa que representa um dos vértices da espiritualidade cristã de todos os tempos: Santa Teresa de Ávila" Bento XVI

Segue abaixo a transcrição da catequese do Papa Bento XVI sobre Santa Teresa de Jesus em 4 de feveiro de 2011. Na época, sua santidade estava aproveitando as catequeses das quartas-feiras para aprofundar a teologia e espiritualidade de grandes santos e doutores da Igreja, vindo a iniciar sobre os doutores da Igreja com a figura de Santa Teresa de Ávila.

Santa Teresa de Ávila [de Jesus]
Prezados irmãos e irmãs!

     Durante as Catequeses que eu quis dedicar aos Padres da Igreja e a grandes figuras de teólogos e de mulheres da Idade Média tive a oportunidade de meditar também sobre alguns Santos e Santas que foram proclamados Doutores da Igreja pela sua doutrina eminente. Hoje gostaria de começar uma breve série de encontros para completar a apresentação dos Doutores da Igreja. E começo com uma santa que representa um dos vértices da espiritualidade cristã de todos os tempos: santa Teresa de Ávila [de Jesus].
STeresAvila        Nasce em Ávila, na Espanha, em 1515, com o nome de Teresa de Ahumada. Na autobiografia ela menciona alguns pormenores da sua infância: o nascimento de «pais virtuosos e tementes a Deus», numa família numerosa, com nove irmãos e três irmãs. Ainda menina, com menos de 9 anos, tem a ocasião de ler as vidas de alguns mártires que lhe inspiram o desejo do martírio, a tal ponto que improvisa uma breve fuga de casa para morrer mártir e subir ao Céu (cf. Vida 1, 4); «Quero ver Deus», diz a pequena aos pais. Alguns anos depois, Teresa falará da suas leituras da infância e afirmará que nelas descobriu a verdade, que resume com dois princípios fundamentais: por um lado, «o facto de que tudo o que pertence ao mundo daqui, passa»; por outro, que só Deus é «para sempre», tema que retorna na celebérrima poesia «Nada te turbe / nada te espante; / tudo passa. Deus não muda; / a paciência obtém tudo; / quem possui Deus / nada lhe falta / só Deus basta!». Tendo ficado órfã de mãe com doze anos, pede à Virgem Santissima que lhe seja mãe (cf. Vida 1, 7).
      

"Lembremo-nos sempre do amor de Cristo"

O texto abaixo foi extraído do "Livro da Vida" de Santa Teresa de Jesus (Cap. 22,6-7.14), e retrata claramente a grande espiritualidade do amor esponsal tão propagada por Teresa de Jesus.

Lembremo-nos sempre do amor de Cristo
     Com tão bom amigo presente, com tão esforçado chefe, tudo se pode sofrer. Serve de ajuda e dá reforço; a ninguém falta. É amigo verdadeiro. Sempre tenho visto claramente que, para contentarmos a Deus e para que nos faça ele mercês, quer que seja por intermédio desta humanidade sacratíssima, na qual declarou Sua Majestade ter posto suas complacências.
     É o que muitíssimas vezes e muito bem tenho visto por experiência, e também mo disse o Senhor. Tenho compreendido claramente que por esta porta havemos de entrar, se quisermos que nos mostre grandes segredos a soberana Majestade. De modo que não se queira outro caminho, ainda que se esteja no cume da contemplação. Por aqui se vai seguro. É por meio deste Senhor nosso que nos vêm todos os bens. Ele ensinará o caminho: contemplemos sua vida, porque não há modelo melhor.
     

Hoje é dia de Santa Teresa de Jesus


Abaixo transcrevemos um resumo da biografia desta grande santa de nossa Igreja. O texto foi obtido no site das Paulinas (http://www.paulinas.org.br/diafeliz/santo.aspx?Dia=15&Mes=10&SantoID=394)

Santa Teresa d'Ávila
Nunca um santo ou santa mostrou-se tão "carne e osso" como Teresa d'Ávila, ou Teresa de Jesus, nome que assumiu no Carmelo. Nascida no dia 28 de março de 1515, seus pais, Alonso Sanchez de Cepeda e Beatriz d'Ávila y Ahumada, a educaram, junto com os irmãos, dentro do exemplo e dos princípios cristãos. Aos sete anos, tentou fugir de casa e peregrinar ao Oriente para ser martirizada pelos mouros, mas foi impedida. A leitura da vida dos santos mártires tinha sobre ela uma força inexplicável e, se não fossem os parentes terem-na encontrado por acaso, teria fugido, levando consigo o irmão Roderico
Órfã de mãe aos doze anos, Teresa assumiu Nossa Senhora como sua mãe adotiva. Mas o despertar da adolescência a levou a ter experiências excessivas ao lado dos primos e primas, tornando-se uma grande preocupação para seu pai. Aos dezesseis anos, sua atração pelas vaidades humanas era muito acentuada. Por isso, ele a colocou para estudar no colégio das agostinianas em Ávila. Após dezoito meses, uma doença grave a fez voltar para receber tratamento na casa de seu pai, o qual se culpou pelo acontecido.

domingo, 14 de outubro de 2012

CRISTO COMO O CENTRO DO COSMO E DA HISTÓRIA

Homilia de Bento XVI na abertura do Ano da Fé

Publicamos abaixo, a homilia de SS. Bento XVI durante a Missa de abertura do Ano da Fé (11.10.2012). 
Venerados Irmãos,

Queridos irmãos e irmãs!


Hoje, com grande alegria, 50 anos depois da abertura do Concílio Vaticano II, damos início ao Ano da fé. Tenho o prazer de saudar a todos vós, especialmente Sua Santidade Bartolomeu I, Patriarca de Constantinopla, e Sua Graça Rowan Williams, Arcebispo de Cantuária. Saúdo também, de modo especial, os Patriarcas e Arcebispos Maiores das Igrejas Orientais católicas, e os Presidentes das Conferências Episcopais. Para fazer memória do Concílio, que alguns dos aqui presentes – a quem saúdo com afeto especial - tivemos a graça de viver em primeira pessoa, esta celebração foi enriquecida com alguns sinais específicos: a procissão inicial, que quis recordar a memorável procissão dos Padres conciliares, quando entraram solenemente nesta Basílica; a entronização do Evangeliário, cópia daquele que foi utilizado durante o Concílio; e a entrega destas mensagens finais do Concílio e do Catecismo da Igreja Católica, que realizarei no termo desta celebração, antes da Bênção Final. Estes sinais, não nos fazem apenas recordar, mas também nos oferecem a possibilidade de ir além da comemoração. Eles nos convidam a entrar mais profundamente no movimento espiritual que caracterizou o Vaticano II, para que se possa assumi-lo e levá-lo adiante no seu verdadeiro sentido. E este sentido foi e ainda é a fé em Cristo, a fé apostólica, animada pelo impulso interior que leva a comunicar Cristo a cada homem e a todos os homens, no peregrinar da Igreja nos caminhos da história.

domingo, 7 de outubro de 2012

SÍNODO DOS BISPOS: "A nova evangelização é uma nova missionariedade na Igreja".



D. Benedito Beni
CIDADE DO VATICANO, domingo, 07 de outubro de 2012(http://www.zenit.org/article-31470?l=portuguese) – Após a concelebração de inauguração da XIII Assembléia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, que tem como tema:A Nova Evangelização para transmissão da fé cristã, diante da Basílica de São Pedro, ZENIT conversou com Dom Benedito Beni dos Santos, da diocese de Lorena, Bispo nomeado pelo Papa para representar o episcopado brasileiro na Assembléia.
ZENIT: Qual é a contribuição da Igreja do Brasil para este Sínodo?
Dom Beni: A Nova Evangelização caminha bem no Brasil de um modo especial através da Missão Permanente da Igreja e das Novas Comunidades e Movimentos. Creio que este Sínodo vai reunir todas as experiências de Nova Evangelização que existe na Igreja e vai fornecer ao Santo Padre um material extenso e profundo para que ele possa elaborar em sua carta Post Sinodal um projeto de Nova Evangelização.

No mês do Rosário, Bento XVI nos convida a rezar o terço em família e em comunidade


DEVEMOS REZAR O TERÇO PESSOALMENTE, EM FAMÍLIA E EM COMUNIDADE
Reflexão do Papa Bento XVI durante o Ângelus

CIDADE DO VATICANO, domingo, 7 de outubro de 2012 (ZENIT.org) - Ao finalizar a santa missa celebrada na Praça de São Pedro, por causa da proclamação de São João de Ávila e de Santa Hildegarda de Bingen como doutores da Igreja e da abertura da XIII Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, o santo padre Bento XVI falou aos fieis antes da oração do Ângelus.
Enfatizou especialmente a festa da Virgem do Rosário que a Igreja Universal celebra hoje, pedindo que todos os fieis valorizem mais a oração do santo rosário durante o próximo Ano da Fé, que será inaugurado por ele mesmo nesta quinta-feira, 11 de outubro.
"Com o Rosário - disse o Papa – nos deixamos guiar por Maria, modelo de fé, na meditação dos mistérios de Cristo, para que a cada dia, possamos assimilar o Evangelho, de tal forma que modele toda a nossa vida”.
Ele lembrou que, há dez anos, o agora Beato João Paulo II assinou a Carta Apostólica Rosarium Virginis Mariae, convocando os fiéis -  em continuidade com o seu antecessor - "a rezarem o terço pessoalmente, em família e em comunidade, participando da escola de Maria, que nos leva a Cristo, centro vivo da nossa fé".
Permalink: http://www.zenit.org/article-31469?l=portuguese

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Santa Teresa do Menino Jesus (padroeira das missões)





santa_teresinha_do_menino_jesusSanta Teresa do Menino Jesus, nasceu em Alençon (França) no ano 1873. Entrou ainda muito jovem no mosteiro das Carmelitas de Lisieux e exercitou-se de modo singular na humildade, simplicidade evangélica e confiança em Deus, virtudes que também procurou inculcar especialmente nas noviças do seu mosteiro. Morreu a 30 de Setembro de 1897, oferecendo a sua vida pela salvação das almas e pela Igreja.
No dia 17 de Maio de 1925, foi canonizada pelo Papa Pio XI , que, dois anos mais tarde, em 1927, a proclamou padroeira das missões. Em 1997, João Paulo II proclamou-a Doutora da Igreja.
Em carta tornada pública a 1 de Outubro de 2007, o Papa Bento XVI, recordou que "Teresa de Lisieux, sem ter saído de seu Carmelo, (...) viveu, à sua maneira, um autêntico espírito missionário. Desde Pio XI até os nossos dias, os Papas não têm deixado de recordar os laços entre oração, caridade e açcão na missão da Igreja."

domingo, 30 de setembro de 2012

Vicariato de Limoeiro de Anadia realiza seu Encontro Anual de Formação


          Ocorreu neste último domingo, dia 30 de setembro, na Escola Peti na cidade de Campo Alegre, o Encontro Anual de Formação dos Catequistas do Vicariato de Limoeiro de Anadia, que é formado pelas paróquias de Nossa Senhora da Conceição (Limoeiro de Anadia), Bom Jesus dos Aflitos (Campo Alegre), Santa Cruz (Taquarana) e São Benedito (C oité do Nóia).
            O encontro contou com a presença de quase 80 catequistas e a presença de pe. Edson (pároco de Campo Alegre) e pe. Marlúcio (coordenador do Vicariato - pároco de Limoeiro). O tema do encontro foi: "O catequista e a missão no ano da fé", e o lema: "Sou Igreja, não posso ficar indiferente a minha fé", tendo como pregado Fabiano Lucio, membro da Comissão Diocesana de Animação Bíblico-Catequética e articulador para catequese no Vicariato de Arapiraca.
       

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

"A vocação da Igreja e do cristão é servir"

Homilia de Bento XVI durante missa no City Center Waterfront de Beirtute

BEIRUTE, domingo, 16 de setembro de 2012(ZENIT.org) – Às 10:00 da manhã de hoje, XXIV Domingo do Tempo Comum, o Papa presidiu à celebração da Santa Missa por ocasião da publicação da Pós-sinodal Ecclesia no Oriente Médio da Assembleia Especial para o Oriente Médio do Sínodo dos Bispos. Após a proclamação do Santo Evangelho, Bento XVI pronunciou a seguinte homilia:
Amados irmãos e irmãs!
     «Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo» (Ef 1, 3). Bendito seja Ele neste dia em que tenho a alegria de me encontrar convosco aqui, no Líbano, para entregar aos Bispos da região a Exortação apostólica pós-sinodal Ecclesia in Medio Oriente. Agradeço cordialmente a Sua Beatitude Béchara Boutros Raï as amáveis palavras de boas-vindas. Saúdo os outros Patriarcas e os Bispos das Igrejas orientais, os Bispos latinos das regiões vizinhas bem como os Cardeais e os Bispos vindos doutros países. Com grande afecto, saúdo a todos vós, queridos irmãos e irmãs do Líbano e também dos países de toda esta amada região do Médio Oriente, que viestes celebrar, com o sucessor de Pedro, Jesus Cristo crucificado, morto e ressuscitado. Dirijo também a minha deferente saudação ao Presidente da República e às Autoridades libanesas, aos Responsáveis e aos membros das outras tradições religiosas que quiseram estar aqui nesta manhã.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Vicariato de Limoeiro de Anadia se prepara para realizar Encontro de Formação para Catequistas

No próximo dia 30 de setembro, o Vicariato de Limoeiro de Anadia irá realizar seu Encontro de Formação para Catequistas, na cidade de Campo Alegre.
O Vicariato é formado pelas paróquias de Nossa Senhora da Conceição (Limoeiro de Anadia), Bom Jesus dos Aflitos (Campo Alegre), Santa Cruz (Taquarana) e São Benedito (Coité do Nóia).
O encontro terá como tema: "O catequista e a missão", e como lema: "Aprofundados na fé, somos impulsionados a missão", tendo como pregado Fabiano Lucio, membro da Comissão Diocesana de Animação Bíblico-Catequética e articulador para catequese no Vicariato de Arapiraca.
O encontro terá a seguinte programação:

8:00 -  Abertura: Acolhida, oração inocial ( Lecio devina) e celebração do dia do catequita

9:30 - Lanche
10:00 - Palestra
12:00 - Almoço 
2:00 - Animação  
2:30 - Plenario
3:30 - Oração final e envio

"A LÓGICA DE DEUS É SEMPRE OUTRA COM RELAÇÃO À NOSSA" (Bento XVI)


Palavras do Papa durante a oração do Angelus


CASTEL GANDOLFO, domingo, 23 de setembro de 2012 (ZENIT.org) – Publicamos a seguir as palavras que o Santo Padre Bento XVI dirigiu hoje aos fiéis reunidos em Castel Gandolfo na oração do tradicional Ângelus.
***
Queridos irmãos e irmãs!
No nosso caminho pelo Evangelho de Marcos, domingo passado, entramos na segunda parte, ou seja, na última viagem para Jerusalém e para o climax da missão de Jesus. Depois de que Pedro, em nome dos discípulos, professou a fé Nele reconhecendo-o como o Messias (cfr. Mc 8, 29), Jesus começou a falar abertamente sobre o que lhe acontecerá no final. O Evangelista narra três sucessivas predições da morte e ressurreição, nos capítulos 8, 9 e 10: nesses Jesus anuncia de modo cada vez mais claro o destino que o aguarda e a sua intrínseca necessidade. A passagem desse domingo contêm o segundo destes anúncios. Jesus diz: “O Filho do homem – expressão com a qual se auto denomina – será entregue nas mãos dos homens e o matarão; mas, uma vez morto, depois de três dias ressuscitará” (Marcos 9, 31). Os discípulos “porém não entendiam estas palavras e tinham medo de interrogá-lo” (v. 32).